sábado, 16 de maio de 2009

Rock Star


Um ídolo!
Bem de perto um ídolo de banda de garagem.
Na multidão sou seu único fã.
Mas ele não sabe nem deve.
Continua solando sua guitarra com a fúria que eu perdi nos tempos de música ruim.

Meu querido rock star.
Amor de tempos imemoriais.
Do tempo de suas desastradas manobras de skate.
Do tempo da vida fútil e leve da minha adolescencia.
Do tempo que seu violão dominava furiosamente os cantos da missa.
Do meu tempo punk rock (perdido).

Que fizeram da nossa idade e das utopias que lhe cabem?
Eu perdi utopias em lençóis frios demais, muito antes de estar na sua platéia.
Agora o platonismo me sufoca na fumaça de gelo seco do seu show querido rock star. E sua luz me cega cada vez mais. Sua voz me entristece e sua guitarra ensurdece minha razão.
Completamente.

2 comentários:

Lyca disse...

Nossa...
Queria tanto saber de quem se trata

felipe ! disse...

somos dois,


e me diga : punk rock na adolescência ?