sexta-feira, 13 de março de 2009

Enganar e se enganar

Numa manhã ensolarada de domingo eu saio por volta das nove para encontrá-lo.
Disfarçando-me com meu Ray Ban Aviator e meu boné purple.
Medo que me vejam com Francisco no seu fusca "amarelo-manga", como ele sempre diz olhando por cima da minha cabeça.
A lata velha barulhenta estacionada na frente de casa e ele refestelado no banco da praça à sombra de uma árvore lendo o jornal do dia.
Meu mau humor crônico me impede de falar.
Como ele também não fala muito entramos mudos no fusca (que não é nada mudo).
Depois de poluir meia cidade o fusca chega onde desejávamos: na praia.
Neste ponto Francisco já está sem camisa com seu barrigão de chopp à mostra.
O vento soprando, o mar revolto, e meus pensamentos tão tranquilos. Pensamentos de quem sabe o que está por vir, de quem tem a experiência dos pessimistas que tem razão de ser.
Era só mais um trabalho, mas ele mudou tudo quando me deu um beijo no pescoço e sorriu.
"As pessoas se transformam quando estão amando".
Penso.
Sem ama-lo tento
Sem amá-lo tanto
Eu só queria tê-lo
Agora vem com esse sorriso tonto
Tento
Tê-lo
Tanto
Penso
"Vem"
Digo e amo
e me engano
sobretudo me engano.

"Às vezes as coisas melhoram a um ponto insuportável"

2 comentários:

Então eu pensei... disse...

Caaraaa! Adorei seu post...

Beijo

Elo

http://myonreality.blogspot.com

Lyca disse...

Fofo ^^