quarta-feira, 30 de julho de 2008

Império dos Sonhos - Inland Empire


"São as Merdas."




Li diversas críticas e opiniões sobre o filme antes e depois de vê-lo.
Tudo que li antes serviu para me deixar mais curioso e o que li depois pareceu-me insuficiente.
Verdade que não parei infindáveis horas para discutí-lo nem entrei em fóruns, mas algo me diz que encontrarei sempre a mesma coisa: perguntas sobre cenas e diálogos sem sentido, tentativas infrutíferas de responder a estas perguntas e, por fim, pessoas dizendo que o cinema de Lynch é pura percepção, não precisa de explicações.
Sendo cinema ou experimento a obra de David Lynch deixou minha mente do avesso.
O que mais impressiona é que ele consegue isso facilmente usando até mesmo elementos trash, mas se vale também de excelentes parcerias. O filme acaba sendo uma declaração de amor do diretor à sua atriz favorita: Laura Dern.
Oh, Laura Dern! Império dos Sonhos não existiria sem você.
Nunca vi tamanha diversidade de expressões.
O diretor elevou a atriz de tal maneira que conseguiu extrair muito mais que plena atuação, uma verdadeira jornada inconsciente de drama e horror.
David Lynch é meu diretor favorito, mas também decepciona, como não?
Império dos Sonhos peca pelo trash. O que não me agrada, mas não me surpreende, pois de Lynch espero absolutamente tudo. Deve ser a tal itervenção da câmera digital que proporcionou metamorfoses assustadoramente toscas. O que deve ter enfurecido cinéfilos mundo a fora. Mas tenho certeza que sua obra teve o impacto esperado.
Tudo que há de desconexo para uns pode fazer sentido para outros. Essa eterna discussão entre verdade e delírio, realidade e sonho é o cerne dos filmes de Lynch e alcançou seu ápice em Império dos Sonhos.

2 comentários:

Lyca disse...

Meu querido Fugitivo...
o trash fez um sentido tão grande para mim. Não sei muito bem o que se passou por minha mente no decorrer desse Sonho, mas com certeza David fez boa escolha (isso porque ele tem) ao rodar o filme em câmera digital. Os tremeliques da câmera com o rosto da Laura em close só me faziam pirar mais e mais...ele conseguiu o que queria comigo.
Não diria qe ele é um diretor trash. Ele está bem longe disso, tanto porque seu atrativo é outro. Mas eu acho que ele soube delicadamente utilizar esse elemento em Império dos Sonhos. Ai!

Lyca disse...

O problema são mesmo as merdas!